quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Parquímetros em Londrina...

Após anos de espera, Londrina finalmente conta com parquímetros. Afinal, o quê são parquímetros? A palavra vem do inglês, "parking meter", que - grosso modo - quer dizer "medida de estacionamento", ou seja, o aparelho que mede quanto vale o tempo de estacionamento.

A Prefeitura iniciou a instalação de parquímetros ao redor do Centro Cívico e eles estão em operação desde o dia 13 de setembro, cada parquímetro controla 10 vagas de estacionamento, assim, não precisamos mais ficar "caçando" os fiscais da Zona Azul quando estacionamos nossos carros. Mas eles serão desempregados?

Não, porque eles precisam continuar fiscalizando os motoristas e os próprios parquímetros mesmo. Então, qual a vantagem? Como eu disse antes... além de facilitar o uso por parte do motorista, facilita também o controle por parte do Poder Público. O motorista ganha outro viés que é o pagamento por minuto estacionado. Como assim?

Nas vias em que houver o parquímetro, não existirá mais o cartão da Zona Azul, será um bóton que o motorista terá que adquirir ao custo de R$7,00 e depois irá colocar créditos nele - esse custo do bóton é pago apenas uma vez, mas os créditos ficam a cargo de cada pessoa colocar. Ao estacionar, o motorista irá até o parquímetro e inserirá o bóton, a tolerância de 15 minutos continua, após esse tempo é cobrado a primeira meia hora cheia no valor de R$0,30, após esses 30 minutos, é contado R$0,02 por minuto. Assim, essa forma tornará mais justa a cobrança por estacionamento, pois hoje paga-se por meia hora ou por 1 hora apenas. Esses créditos serão adquiridos ao adquirir o bóton com os fiscais, a Prefeitura estuda a possibilidade de vendê-los em estabelecimentos comerciais também.

Parquímetros gerenciando as vagas de estacionamento da Zona Azul até o final do ano, melhor controle e maior fiscalização, foto de Roberto Custódio

















Haverá o parquímetro azul para carros e o parquímetro vermelho para motos, as vagas serão enumeradas por sinalização horizontal (vulgo, pintadas no chão). A Prefeitura pretende instalar em todas as áreas de Zona Azul até o fim deste ano, inclusive, na futura Zona Azul que passará a existir no "Jardins" do Centro (ver post "Mudança no trânsito do 'Jardins'..."). Ou seja, considerando a malha viária do Centro, temos várias quadras 100x100m, então, teremos 1 parquímetro por quadra (cada vaga é em torno de 6m de comprimento, descontando as guias rebaixadas para portões dos lotes, temos umas 10-15 vagas por quadra).

Outro viés importante desse modelo, é que pelo controle eletrônico será mais eficaz a fiscalização e o controle, assim, poderá melhorar a rotatividade de vagas nessas áreas, que são cada vez mais escassas... Assim, Londrina finalmente conta com um sistema mais moderno para gerenciar o estacionamento de veículos nas vias públicas. E outra também... poderá coibir os abusos e o corrompimento dos fiscais, mas será suficiente para suprimir os flanelinhas (ver post "Flanelinhas loteando as ruas... e nós???")??

Os parquímetros já são utilizados em vários países da Europa e muito popular nos Estados Unidos. Temos até em algumas cidades daqui do Paraná, como Maringá, Foz do Iguaçu e Apucarana. O sistema está sendo implantado pela Escola Profissional e Social do Menor de Londrina (Epesmel), que continuará responsável pela Zona Azul.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Eleições 2010: resumo do debate da Globo

Desculpe a sequência de posts sobre política, mas é que essa semana agora é decisiva para o futuro do nosso Paraná, afinal, as eleições estão aí... Acabou o debate dos candidatos a governador do Paraná na Rede Globo, conforme havia anunciado no post anterior.

Sinceramente? Não acrescentou muita coisa... Osmar Dias (PDT) só ficou atacando Beto, apresentou poucas propostas. Assim, Beto Richa (PSDB) só se defendia dos ataques de Osmar, até mesmo quando ele nem era o perguntado da vez... Paulo Salamuni (PV) gaguejou muito, demonstrando certo nervosismo, mas não ficou levantando apenas a bandeira do partido, ao contrário de Luiz Felipe Bergmann (PSol), que além de só falar da reforma agrária, fazia piadinhas o tempo todo e ataques aos 2 principais candidatos desta eleição.

Outra coisa curiosa... Dependendo desse debate, quem fosse de fora e estivesse assistindo ía achar que a eleição era de Curitiba e não do Paraná! Praticamente todas as perguntas, respostas, réplicas e tréplicas foram sobre a capital do estado e em nenhum momento foi citado as outras cidades...

O que demonstra um profundo desconhecimento dos candidatos porque houve uma pergunta sobre Regiões Metropolitanas (RMs) e esqueceram que Londrina possui uma RM oficializada pelo governo estadual há quase 10 anos, e Maringá está oficializando a sua RM... Ficavam falando apenas dos problemas e soluções da RM de Curitiba...

Outro ponto que demonstrou desconhecimento dos candidatos foi quando resolveram novamente cutucar Beto Richa... ficavam falando do aterro sanitário de lá, que está quase saturado, chegando ao seu limite. Depois, começaram a falar sobre os problemas de coleta seletiva da capital - essa temática apareceu algumas vezes nas falas dos candidatos. Porém, em nenhum momento lembraram que Londrina é a cidade que mais recicla no país e está na vanguarda de várias cidades ao iniciar a instalação de um aterro sanitário totalmente controlado (ver post "Algo não está cheirando bem!"). Nem mesmo o Osmar Dias lembrou disso e olha que o nosso prefeito é do mesmo partido dele...

Os candidatos presentes ao debate, poucas propostas e muitas acusações, Paraná é só Curitiba para eles, imagem da Gazeta do Povo






O candidato do Psol cometeu algumas gafes, como quando citou Curitiba como mau exemplo de planejamento urbano, sendo que a cidade é um dos principais exemplos no mundo todo nesta área, sendo objeto de estudo de vários livros e universidades de arquitetura e urbanismo. Ele repetiu a piadinha que sempre faz em outros debates, que é sobre Osmar ser o cowboy do campo e Beto o playboy da capital... Mas, foi curioso quando o tema sorteado foi "Reforma agrária e MST" e o candidato a fazer a pergunta era Osmar Dias, havia restado apenas Luiz Bergmann para responder... É que Bergmann defende piamente a reforma agrária com distribuição gratuita de terras improdutivas e devolutas para os "camponeses" e a reavaliação das escrituras de fazendas antigas (ele comenta sobre o modo como foram obtidas essas terras por grileiros e posseiros). Já o Osmar é fazendeiro e defende o financiamento dessas terras para a reforma com o pagamento pela safra.

Resumindo... poucas propostas inovadoras para o nosso estado, sempre a mesmice de mais escolas, hospitais, policiais e infra-estrutura... Pouco se falou do pedágio, que o ex-governador Requião (PMDB) prometia acabar desde quando concorria nas eleições de 1998, mas conviveu muito bem durante os quase 8 anos do seu governo e até concedeu aumento! Achei que os candidatos Salamuni e Beto poderiam criticar mais o abandono do Porto de Paranaguá quando a pergunta foi sobre a infra-estrutura de transportes...

Osmar também lembrou da pesquisa que foi impugnada pela candidatura tucana e Beto retrucou dizendo que Osmar fez pouco pelo estado enquanto foi senador nesses 16 anos, além de trocar várias vezes de lado... Osmar já foi do PSDB e jogou areia na candidatura a vice-presidente de seu irmão, o senador Álvaro Dias (PSDB), que estava sendo cotado por José Serra (PSDB) para o cargo (ver post "Eleições 2010: governador PR").

Lembrando que nesta quinta-feira, último dia do mês (JÁ ESTAMOS EM OUTUBRO!), dia 30 de setembro, terá o último debate com os candidatos à presidência da república, também na Rede Globo e será após a novela "Passione", às 22h30. Neste, estarão presentes Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda (PSol).

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Eleições 2010: disputa acirrada no PR

O candidato Beto Richa (PSDB) impugnou as últimas pesquisas que seriam divulgadas semana passada. Ouvindo um interlocutor de dentro do partido, descobri que a estratégia é deixar o eleitor no escuro, não deixá-lo influenciado pelos resultados da pesquisa.

A campanha de Osmar Dias (PDT) já acha o contrário, que eles passaram o candidato adversário e não querem que seja divulgado. Porém, ninguém sabe o resultado oficial da pesquisa (apenas o próprio instituto e a RPC que o contratou). E outra... ambas as campanhas concordam que o clima está bem competitivo e não se sabe nada ainda... Como assim?

É que podemos decidir no 1º turno pra qualquer um dos lados, assim como, podemos ir para o 2º turno! Ou seja, o que antes estava praticamente certo ser decidido no 1º turno (ver post "Eleições 2010: PR decide no 1º turno"), agora está super disputado.

Beto e Osmar, quem será o governador?














Por quê Osmar cresceu tanto? Será que foi as constantes imagens do presidente Lula no programa dele? Será que foi o chororô dele em comícios? Ou o quê? É que a meu ver, ambos os candidatos são muito parecidos, tanto em gestão, como em propostas. Acredito que qualquer um que vencer será bom para o Paraná, porém, muitos agricultores não gostam nada da aproximação de Osmar com o PT por causa do MST... Assim como, muita gente não gosta de Richa por causa de Lerner...

Analisando a evolução das pesquisas do Datafolha, temos o seguinte quadro:
  • Beto Richa
43% - 46% - 44% - 45% - ???
  • Osmar Dias
38% - 33% - 38% - 40% - ???
O Ibope aponta quase os mesmo números, com uma diferença oscilando entre 2 e 3% a mais pro Beto Richa em todos os levantamentos, já para Osmar os números são praticamente os mesmos. Até a última pesquisa, tínhamos decisão no 1º turno a favor do Beto Richa, considerando os votos válidos. Vejo também que Beto parou de cair e está estável, Osmar conseguiu votos dos indecisos, afetou pouco a campanha tucana. Mas, ainda assim só saberemos se for divulgada alguma pesquisa durante a semana ou apenas no domingo mesmo...

Aliás, hoje tem debate na Rede Globo! Considerado o principal debate das eleições, a Rede Globo transmitirá a partir das 22h00, após a novela "Passione", com mediação da Jornalista Sandra Annenberg e contará com a presença de Beto Richa (PSDB), Osmar Dias (PDT), Paulo Salamuni (PV) e Luiz Felipe Bergmann (PSol).

Foto de autor desconhecido.

sábado, 25 de setembro de 2010

"Olimpíadas Escolares" voltam em 2012!

Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou ontem que Londrina será a sede das Olimpíadas Escolares Brasileiras de 2012!

As olimpíadas acontecem todo ano e no final de 2009, Londrina e Maringá sediaram a edição daquele ano na categoria de 15 a 17 anos, que é a mesma que apenas Londrina sediará em 2012. Naquela ocasião, Londrina ficou com as modalidades natação, basquete, handebol e tênis de mesa, Maringá sediou futsal, vôlei, atletismo, judô e xadrez. Em 2009, foi a primeira vez que as olimpíadas foram divididas entre 2 cidades.

A captação do evento de 2012 foi uma ação conjunta do Londrina Convention & Visitors Bureau e da Prefeitura Municipal de Londrina. Porém, antes de Londrina ser a escolhida, concorreu com mais oito cidades: as paulistas Campinas e Rio Claro, as nordestinas Aracaju, João Pessoa e Fortaleza, a mineira Poços de Caldas e aqui perto, a catarina Joinville e a paranaense Foz do Iguaçu. Mas, quase todas essas cidades vão sediar as outras categorias das olimpíadas em 2011 e 2012 também (é dividida por faixas etárias).

As Olimpíadas Escolares de 15 a 17 anos reúnem quase mil escolas, com 200 dirigentes, 400 técnicos e cerca de 4000 jovens, de todos os estados brasileiros, atletas que já passaram pelas etapas municipais e estaduais e que durante 11 dias, disputam 11 modalidades esportivas individuais e coletivas, e participam de eventos culturais, educativos e sociais nos locais sedes das olimpíadas. As Olimpíadas Escolares são palco da formação de uma nova geração de atletas brasileiros e existe desde 2005.

Os embaixadores da edição de 2009: atletas, técnicos e políticos unidos, chance da cidade recuperar as praças esportivas que estão defasadas e abandonadas, e incentivar o uso delas pelo esporte nas escolas e colégios, foto de Luiz Jacobs







Esse é um bom momento para a Prefeitura de Londrina recuperar e modernizar as nossas praças esportivas. O Ginásio Moringão e o Estádio do Café estão muito abandonados e suprimidos... Os acessos a ambos são um sufoco e em dias de eventos é praticamente impossível chegar aos locais. As instalações também precisam se atualizar... O Moringão instalou cadeiras nas arquibancadas e trocou o assoalho, mas ainda falta muito... como iluminação, placar eletrônico, banheiros públicos, vestiários, embarque e desembarque, acesso de pedestres e de veículos, etc... O Estádio do Café está há alguns passos atrás do Moringão... Isso que nem to citando o Estádio VGD porque tá pior que campo de futebol em pracinha de bairro...

Outra praça esportiva abandonada na cidade é o Autódromo Ayrton Senna... Já que fizeram, vamos manter e tornar lucrativo, NÉ??? É preciso também reformá-lo e modernizá-lo URGENTEMENTE!!! Já perdemos uma vez a sede da stock-car por causa do abandono que não oferecia condições mínimas de segurança aos pilotos e usuários... O kartódromo ao lado já é mais utilizado, os usuários são basicamente os amantes desse esporte e os profissionais amadores, vulgo, hobby. O autódromo ainda é utilizado no carnaval quando tem o desfile de escolas de samba... (enfim... né?)

Abertura de 2009 no Ginásio Moringão, símbolo máximo do esporte de quadra em Londrina que precisa ser recuperado e modernizado, foto de autor desconhecido








Acho que aqui temos uma grande oportunidade de revigorarmos a nossa infra-estrutura e qualificarmos profissionais na nossa cidade para o esporte. Temos grandes atletas da cidade, podemos transformar isso em inspiração para os jovens, mas para tudo isso acontecer, os atletas precisam de locais para treinar. Assim, precisamos qualificar os nossos espaços com projetos adequados e decentes! E, lógico, manter tudo isso... e quando digo "manter", não to falando só da Prefeitura bancar custos, mas buscar patrocínios e incentivar o uso dessas praças esportivas pela população.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Mudança no trânsito do "Jardins"...

Conforme eu já publiquei no post "'Jardins' de Londrina...", a região do Centro da cidade compreendida entre a r. Santos, a r. Paranguá e a r. Belo Horizonte, conhecida também como "quadrilátero nobre", vai sofrer algumas mudanças no trânsito nessas 3 vias. Porém, tenho inúmeras críticas a fazer...

Antes, vou explicar resumidamente o que a CMTU e o IPPUL querem fazer. A r. Paranaguá será a primeira a sofrer intervenção e a partir de agora terá 2 faixas de rodagem de fato! Como assim? Hoje, a via tem 9m de largura, sendo 2m de cada lado reservados para as faixas de estacionamento, logo, sobrando 5m divididos em 2 faixas de rodagem. Então, se já tem 2 faixas, o quê mudou agora? É que 2,5m de faixa de rodagem impede que veículos médios, como caminhões e caminhonetes consigam dividir espaço com outros veículos comuns. Assim, com o novo padrão pretendido pela CMTU, vão eliminar uma faixa de estacionamento de um dos lados da via e, assim, aumentar a área das faixas de rodagem, sendo cada uma com 3,5m de largura.

Assim, após um tempo de experiência, irão adotar o mesmo sistema na r. Santos e na r. Belo Horizonte. Conforme eu conversei com o Diretor de Trânsito da CMTU, Wilson de Jesus, ele disse que a intenção da Prefeitura é criar alternativa de fluxo para os motoristas que utilizam a av. JK e a av. Higienópolis, assim, transitando por dentro do bairro também.

Após um tempo também, será instalada a Zona Azul na região com os parquímetros utilizados hoje no Centro Cívico (ainda estou preparando um post só para isso). E conforme forem analisando o aumento de fluxo, que acabará acontecendo na região em virtude do alargamento das faixas de rodagem, irão instalar semáforos em alguns cruzamento e um praticamente certo desde já é na r. Belo Horizonte com a r. Goiás.

Mas, voltando ao alargamento das faixas de rodagem, a questão é... PRA QUÊ???

Não tem tráfego de veículos ali que justifique eliminar quase 450 vagas de estacionamento no bairro!!! Durante o meu TFG (Trabalho Final de Graduação), que foi feito nesta exata região, eu levantei que a principal reclamação de todos os usuários e lojistas era a falta de vagas de estacionamento! E não há estacionamentos privados ali que suprem a demanda atual, imagine quando mais de 400 vagas forem eliminadas!!!

As 2 faixas de rodagem já existem, mas a CMTU irá alargá-las e, assim, pretende transformar as ruas do bairro como área de escape das grandes avenidas ao redor, maximizando o uso das vias, mas será que isso acontecerá e os benefícios realmente serão grandes a ponto de justificar essa mudança?

















Enfim... E também acho que o aumento de tráfego ali vai ocasionar muitos conflitos com a alta densidade da região - como eu levantei também, essa é a área com a maior densidade populacional de Londrina. E sobre a instalação de semáforos, embora por um lado resolve o tráfego, por outro lado configura uma nova modalidade de comércio na região, que hoje está basicamente concentrado nas ruas com tráfego mais lento (r. Santos, r. Paranaguá e r. Belo Horizonte), e isso pode ocasionar maior concentração comercial no bairro também nas vias de tráfego mais rápido, as vias transversais, que terão paradas em alguns cruzamentos.

E outra coisa que não foi avisado, as vagas de estacionamento serão liberadas após o horário comercial, ou do rush??? E já que vão eliminar todas de um dos lados das vias, poderiam aproveitar pra fiscalizar os inúmeros rebaixos de guia ilegais que há ali. Uma denúncia que eu posso fazer desde já é que quando eu fui aprovar um projeto arquitetônico de minha autoria na Prefeitura, foi exigido que eu ofertasse vagas de estacionamento no lote ou que eu fizesse convênio com um estacionamento privado próximo. Assim, fui atrás de um estacionamento ao redor do lote e fiz o convênio.

Mas, isso me intrigou e fui averiguar como que um colega de profissão aprovou um projeto de autoria dele e que não tinha vagas e nem estacionamentos privados próximos... Fui lá ao Setor de Cadastro da Prefeitura (é onde ficam arquivados todos os projetos aprovados na cidade) e pedi pra ver a carta de convênio, daí constei a irregularidade... O alvará de funcionamento, que é expedido pela Secretaria de Fazenda, de estacionamentos é o mesmo para lojas de carros usados (vulgo, garagens) e lava-rápidos. Assim, o que aconteceu foi que o meu colega fez um convênio para ofertar vagas de estacionamento do lote dele em um lava-rápido!!!

É que pela Lei de Zoneamento, cada lote é obrigado a ofertar vagas de estacionamento de acordo com a atividade exercida ali. É o famigerado Anexo 3 da Lei... Mas, quase ninguém respeita isso de fato ou tentam burlar o máximo possível... Assim, acho engraçado os inúmeros comerciantes do bairro reclamarem quando a Prefeitura decide retirar vagas públicas para facilitar o fluxo, como foram os casos dos corredores de ônibus no Centro (ver post "Corredores de ônibus no Centro..."), é OBRIGAÇÃO do comerciante ofertar vagas para os seus clientes!!!

Porém, ainda assim fica a minha crítica de que nesta região é desnecessário retirar essas vagas de estacionamento, os benefícios não são tão grandes a ponto de maximizar o fluxo de veículos, a perda é muito maior. Acredito que a Zona Azul e os semáforos em alguns cruzamentos resolviam os pontos conflitantes, que são muito poucos... As vias ficarão ociosas a maior parte do tempo...

Foto do autor.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Eleições 2010: ditadura ou democracia?

Hoje, recebi 2 vídeos vinculados à campanha presidencial.

Um deles mostra uma reportagem da Band sobre o projeto enviado pelo Palácio do Planalto para o Congresso Nacional, que acaba com inúmeros direitos democráticos da população.
* Palácio do Planalto: leia-se presidente Lula, ex-ministra Dilma, ex-ministro Tarso Genro (que concorre ao governo do Rio Grande do Sul), ministro Franklin Martins e ministro Paulo Vanucchi.
Alguns dizem até que é o início de uma afronta à democracia instalada no país e uma volta a ditadura disfarçada de democracia, como é o caso da Venezuela. O Advogado Ives Gandra Martins, um dos maiores juristas do mundo com inúmeras publicações nacionais e internacionais, faz uma interessante avaliação sobre o projeto que o presidente enviou para o Congresso Nacional.


O outro vídeo é da campanha da coligação do PSDB, que faz uma crítica sobre essa falta de liberdade que nós teremos, conforme o Dr. Ives Gandra analisou. E vai além ao comparar essa atitude de cortar inúmeros direitos com o apoio do presidente Lula a inúmeros governos ditatoriais, como Cuba, Venezuela, Irã, etc... Além, claro, do PT apoiar inúmeros movimentos radicais que já perderam a ideologia faz tempo, como o MST...



Eu vejo a situação da seguinte forma: Lula fez muito pelo Brasil? Sim, fez! Ajudou a erguer muita gente da pobreza, ok! Mas a que custo? Será que essa estratégia realmente foi pensando no bem da população? Ou foi pra garantir um projeto ditatorial de um governo de esquerda? Nada contra a esquerda, muitos dizem que nem existe mais essa diferença hoje em dia na política, mas mesmo assim, é algo interessante para pensarmos a respeito.

Por quê tentar censurar a imprensa? Inclusive, uma coisa interessante entre petistas é o fato de que imprensa ruim é aquela que fala mal do governo, mas imprensa boa é aquela que fala bem. Para os petistas, a revista Veja é uma m...rda e a revista Carta Capital é excelente! É mais do que óbvio a total parcialidade da Carta Capital com o governo Lula e a total parcialidade da revista Veja contra o governo Lula!!! Meios de imprensa sempre foram e sempre serão parciais!

NÃO EXISTE IMPRENSA IMPARCIAL!!!

É natural do ser humano ir para um dos lados, como as revistas são controladas por seres humanos e com interesses envolvidos, obviamente, será parcial! Uma época fiz um textinho sobre a imparcialidade da imprensa, meio que uma sátira a inúmeros pensamentos utópicos entre alguns acadêmicos. É um diálogo entre um realista e um utopista:

- Veja bem, os meios de comunicação não devem ser tendenciosos! - diz Marcelino
- Isso é uma utopia, caro amigo... - responde Sr. Geraldinho
- Uma utopia hoje, mas que algum dia será verdade!
- Aham, sim! Nesse mesmo dia, o mundo não terá mais pobres e o homem respeitará o meio-ambiente no qual vive. Assim, tomará posturas "radicais": vamos todos voltar a viver como primatas! Desligar nossos aparelhos elétricos e carros porque gastam energia, logo, poluem o ecossistema.
- Mas podemos usar tecnologias que não poluem!
- Aham! Não poluem... tsc, tsc... coitadinho de você... para isso, vamos voltar a viver na mata, mas não podemos abrir uma clareira para a o nosso vilarejo pois isso é desmatar e estaremos contribuindo com o aquecimento global.
- E como viveremos?
- Em cima das árvores! (...) Ops! Uma onça acabou de comer meu amigo! Mas ainda bem que somos seres humanos e capazes de discernir sobre o que podemos fazer e sabemos que matar uma vida para sustento é uma coisa banal e totalmente inaceitável... Chispa daqui, bichano!
- E como viveremos à noite sem luz?
- Esperando que a Lua brilhe porque o Sol não brilhará mais...

Moral da história: não precisamos ser conformistas com a situação, mas precisamos ser realistas com os nossos ideais e às vezes temos que dançar conforme a maré para conseguirmos nossos objetivos, lógico que nunca podemos atropelar os outros, realizar a nossa vontade a qualquer preço é inadmissível.
Enfim, só acho que Serra ou Dilma farão muita coisa para o país, ambos possuem muitas realizações ao longo de suas carreiras políticas. Porém, eu ainda acho o Serra mais competente e preparado. A Marina e o Plínio são muito inteligentes e com certeza engrandecem muito a eleição presidencial com suas temáticas, mas, infelizmente, a população no Brasil ainda é muito maleável e não tem uma posição firme ou coerente no seu voto... E o Lula sabe muito bem disso, assistam a este vídeo:

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Descontraindo... (manual bêbado)

Descontraindo novamente, o blog irá mostrar algumas curiosidades e como proceder quando se está bêbado!



Coisas que são DIFÍCEIS de dizer quando você está bêbado:

Indubitavelmente.
Preliminarmente.
Proliferação.
Inconstitucional.

Coisas que são EXTREMAMENTE DIFÍCEIS de dizer quando você esta bêbado:

Especificidade.
Transubstanciado.
Verossimilhança.
Três tigres.

Coisas que são TOTALMENTE IMPOSSÍVEIS de dizer quando você está bêbado:

Puta merda que menino(a) feio(a)!!!
Chega, já bebi demais.
Sai fora, você não é o meu tipo...

Como agir quando se bebeu demais e está com os seguintes sintomas:

SINTOMA: Pés frios e úmidos.
CAUSA: Você está segurando o copo pelo lado errado.
SOLUÇÃO: Gire o copo até que a parte aberta esteja virada para cima.

SINTOMA: Pés quentes e úmidos.
CAUSA: Você fez xixi.
SOLUÇÃO: Vá se secar no banheiro mais próximo.

SINTOMA: A parede a sua frente está cheia de luzes.
CAUSA: Você caiu de costas no chão.
SOLUÇÃO: Coloque seu corpo a 90 graus do solo.

SINTOMA: O chão está embaçado.
CAUSA: Você está olhando para o chão através do fundo do seu copo vazio.
SOLUÇÃO: Compre outra cerveja ou similar.

SINTOMA: O chão está se movendo.
CAUSA: Você está sendo carregado ou arrastado.
SOLUÇÃO: Pergunte se estão te levando para outro.

SINTOMA: O local ficou completamente escuro.
CAUSA: O bar fechou.
SOLUÇÃO: Pergunte ao garçom o endereço de sua casa.

SINTOMA: O motorista do táxi é um elefante rosa.
CAUSA: Você bebeu muitíssimo.
SOLUÇÃO: Peça ao elefante que o leve para o hospital mais próximo...

SINTOMA: Você está olhando um espelho que se move como água...
CAUSA: Você está para vomitar em uma privada.
SOLUÇÃO: Enfie o dedo na garganta.

SINTOMA: As pessoas falam produzindo um misterioso eco.
CAUSA: Você está com a garrafa de cerveja na orelha.
SOLUÇÃO: Deixe de ser palhaço.

SINTOMA: A danceteria se move muito e a música é muito repetitiva.
CAUSA: Você está em uma ambulância.
SOLUÇÃO: Não se mova. Possível coma alcoólico.

SINTOMA: A fortíssima luz da danceteria está cegando seus olhos.
CAUSA: Você está na rua e já é dia.
SOLUÇÃO: Tente encontrar o caminho de volta para casa.

SINTOMA: Seu amigo não liga para o que você fala.
CAUSA: Você está falando com uma caixa de correios.
SOLUÇÃO: Procure seu amigo para que ele te leve para casa.

(sic)

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Eleições 2010: recomendações

Para quem ainda não sabe em quem votar ou para quem está votando no que está na frente só pra não "perder" o voto, vou indicar 2 ótimos candidatos que precisam da confiança de vocês porque farão uma enorme diferença na política e trarão muitos benefícios e orgulho para nós, londrinenses e paranaenses.

Um deles é o candidato a deputado estadual, o prof. Amauri Cardoso (PSDB). Ele é diretor do CAIC da Zona Sul e possui ótimos trabalhos com os alunos de lá que envolvem toda a comunidade. Amauri é o 2º suplente a vereador do PSDB aqui em Londrina e em 2009 exerceu o ofício ao substituir o vereador Roberto Kanashiro (PSDB) por 6 meses, que estava de licença médica. Para saber mais sobre o Amauri, acesse ao link da campanha "Voto consciente" da RPC, Gazeta do Povo e JL, há também um site criado por ele mesmo. Vou publicar um vídeo que a campanha dele montou, é meio amador a montagem, mas reúne várias reportagens dos telejornais locais mostrando os projetos que ele ajudou a implementar no CAIC da Zona Sul, o número dele é 45698:


O outro é o candidato a senador, o deputado federal Gustavo Fruet (PSDB). Fruet foi o deputado federal mais votado no Paraná pela última eleição, em 2006, e está no seu 3º mandato como deputado. Antes, já teve um mandato como vereador de Curitiba também. Sempre foi reconhecido como um candidato honesto e íntegro na sua vida pública desde 1996, e é o deputado federal do Paraná mais assíduo no Congresso Nacional. Ele é formado em Direito pela UFPR, possui mestrado e doutorado na área. Para saber mais sobre ele, há um site da campanha e este vídeo logo abaixo, que é uma entrevista dele lançando sua pré-candidatura ao Senado, o número dele é 456:


Ambos são do PSDB, mas eu os escolhi não pelo partido que representam, mas pelas opções que temos. Vejo no Amauri uma ótima proposta de renovação na política e aumentar a representatividade de Londrina na Assembléia Legislativa, que hoje é baixa considerando a proporção de habitantes. E o Fruet possui muito mais currículo que a segunda colocada nas pesquisas, Gleise Hoffmann (PT), que pra mim não passa apenas de um marketing eleitoreiro porque ela nunca foi nada na vida, a não ser esposa do ministro do planejamento Paulo Bernardo (PT) e cabide de emprego petista na Itaipu.

Já os que eu não recomendo, são esses do vídeo:



Este vídeo foi feito pela campanha "O Paraná que queremos" da OAB e RPC. A campanha mobilizou várias cidades do Paraná contra o escândalo na Assembléia Legislativa que virou notícia nacional e iniciou com denúncias do telejornal "ParanáTV" na série "Diários Secretos".

Enfim, são apenas sugestões minhas. Mas acho que devemos dar o benefício da dúvida a esses 2 candidatos que possuem muita vontade para ajudar o nosso estado.

sábado, 18 de setembro de 2010

Você sabia? (Museu Histórico)

Hoje, conforme anunciei no post de ontem, o Museu Histórico Padre Carlos Weiss completa 40 anos! Assim, eu resolvi homenageá-lo com o décimo post desta seção! O museu foi inaugurado no dia 18 de setembro de 1970.

Nem sempre o museu foi ali naquele prédio da antiga estação ferroviária. Inicialmente, funcionava no mesmo prédio que a antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Londrina, que hoje é o CLCH (Centro de Letras e Ciências Humanas) no campus da UEL.

Prédio do atual Museu Histórico completa 60 anos neste ano, mas o museu mesmo possui 40 anos, foto de Ivan Teixeira












Porém, tratarei de escrever sobre o prédio em si do museu atualmente, que é a sua imagem mais forte. Como disse anteriormente, ali era a estação ferroviária de Londrina! A história do Norte do Paraná pode ser escrita em função da linha férrea que a CTNP (Cia. de Terras Norte do Paraná) construiu ligando esta região ao porto de Santos, em São Paulo (ver post "Resgate da história: Norte do PR"). Sendo assim, o edifício da antiga ferroviária é o principal elo entre o passado da cidade com a atualidade, portanto, digno de hospedar honrosamente a história desta terra como um museu histórico.

Mas, antes mesmo deste prédio de tijolos e telhas cerâmicas, havia um de madeira desde 1935! O atual foi construído pela própria CTNP e inaugurado no aniversário da cidade em 1950, foi inspirado na ferroviária de Londres, em menor escala, obviamente. Funcionou como ferroviária até 1981 e após muitos anos abandonado, a partir de 1986, já era o museu.

Antigo edifício da estação ferroviária, que funcionou até 1950 no mesmo local, foto de autor desconhecido





Antes de transformarem em museu, cogitaram até demolir o edifício após a retirada da linha férrea do Centro da cidade!!! Um absurdo que foi logo revertido... Isso demonstra que desde aquela época Londrina não tratava da sua história com o devido respeito... O que também não justifica os erros de hoje, como a reforma do Calçadão (ver post "Calçadão... saudades ou progresso?")! Mas, serve de exemplo que é possível preservar sem perder a qualidade.
* A av. Leste-Oeste era o leito da linha férrea, que depois foi feito o desvio passando pela Zona Norte. Inclusive, os pórticos do PAI e da Praça Tomi Nakagawa estão locados exatamente por onde passavam os trilhos.
Em 2000, foi inaugurada a segunda reforma do edifício, que foi todo revitalizado a cargo do Arquiteto e Urbanista Jorge Marão Carnielo Miguel e do Arquiteto e Urbanista Antônio Carlos Zani, ambos são professores do curso de Arquitetura e Urbanismo na UEL (aliás, desde 1974 que a UEL é responsável pelo museu). Os arquitetos transformaram toda a instalação do prédio em um excelente espaço de exposição. Há várias alas no térreo que funcionam como salas de exposição permanente e temporária, além, do setor de objetos (ali, antigamente, era o restaurante, a sala de bagagens, a sala de espera, etc). Apenas o guichê sobrou da antiga ferroviária e a plataforma de embarque, o resto dos espaços foram muito bem aproveitados para a nova atividade do edifício. Onde era a área administrativa da estação, hoje é uma área que abriga o setor de imagem e som, a biblioteca e o setor de documentação, que registra livros e periódicos, como jornais e revistas da cidade ou que falam sobre Londrina.
* Inclusive, você pode buscar imagens lá no museu! Basta pagar uma taxa e levar um CD para gravá-las. Logicamente, a impressão é você que vai atrás de alguém, né?
A entrada pela Praça Rocha Pombo também foi ativada na segunda reforma. Antes, você acessava pelo portão lateral, que hoje só serve para carros. Agora, você entra pela praça, desce a escadaria e passa por um túnel embaixo da r. Benjamin Constant até chegar ao jardim. Este trajeto cria uma poesia interessante: sendo um espaço de transição da agitação do Centro e da atualidade até entrar em um espaço calmo e que conta o passado... No túnel também há imagens e informações sobre a transformação da estação ferroviária em museu, além do nome de todas as pessoas que contribuíram para a obra.

Praça Rocha Pomba, que é tombada para preservar o visual entre a antiga rodoviária, atual Museu de Arte, e a antiga ferroviária, atual Museu Histórico, foto de autor desconhecido








Túnel que dá acesso ao jardim e ao museu, o acesso subterrâneo foi ativado na segunda reforma, foto de autor desconhecido












O jardim frontal era a área de embarque e desembarque de pessoas que chegavam na estação para pegar os seus trens e também para carga e descarga que eram despachadas para fora da cidade. Após a segunda reforma, decidiram plantar pés-de-café ali, que hoje já estão enormes! Todos os bancos deste jardim possuem nomes de famílias de pioneiros que contribuíram com o acervo do museu, uma idéia bacana para homenagear estas pessoas que decidiram ajudar a contar a história de Londrina.

Antes, o jardim atual era o pátio de embarque e desembarque e estacionamento, foto de Yutaka Yasunaka















Os pés-de-café foram plantados na segunda reforma, que configurou o prédio como um espaço realmente qualificado para ser um museu, foto de autor desconhecido










Os vagões de trem que estão estacionados na plataforma de embarque e desembarque também foram reformados. Junto com aqueles vagões era pra ter uma "Maria-fumaça" também! Mas, como os vagões não estão bem protegidos e bem cuidados, a UEL não consegue verba para revitalizar a "Maria-fumaça", que está estacionada lá no campus, dentro do pátio da Prefeitura do Campus (quem quiser vê-la, é só pedir pra algum funcionário, ela está embaixo de uma cobertura, mas sem paredes). No início dos anos 2000, houve um concurso de projetos arquitetônicos para uma cobertura ser instalada ali e, assim, proteger os vagões de trem para receber a "Maria-fumaça", mas a qualidade dos projetos foi bem baixa e o projeto vencedor nem chegou a ser executado pela forte reação que arquitetos e urbanistas tiveram contra a descaracterização da antiga estação ferroviária.

A única parte que deixa a desejar no museu é a preservação dos vagões de trem, que se encontram muito deteriorados, foto de autor desconhecido









Assim, o prédio atual do Museu Histórico de Londrina não só é um marco arquitetônico permanente da nossa história, como também marcou presença na vida de todos os pioneiros e hoje conta para todas as novas gerações um pouco do passado da nossa terra.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Exposição: "J. Juliani - O colono-fotógrafo"

Museu Histórico de Londrina está completando 40 anos amanhã! Para isso, a comemoração dos 40 anos do museu marcou muitas exposições e outros eventos.

Hoje à noite, terá iníco a exposição "J. Juliani - O colono-fotógrafo, expressão visual de um autodidata", que reúne o acervo fotográfico deste pioneiro ítalo-brasileiro que trabalhou como fotógrafo da CTNP (Cia. de Terras Norte do Paraná) e registrou o crescimento da cidade retratando o cotidiano da população, como prédios, festas e fotos particulares.

Junto com Haruo Ohara (ver post "Exposição: 'Haruo Ohara - Fotografias'"), Carlos Stenders e Yutaka Yasunaka (ver post "Fotos antigas de Londrina..."), José Juliani é um dos principais personagens da história de Londrina por contribuir com a memória da cidade, o que o torna tão importante quanto qualquer outro dos pioneiros.

Juliani e Yasunaka tinham um estúdio fotográfico (Carlos Stenders era o ex-proprietário do estúdio do Yasunaka), a fotografia era um ofício aos dois. Já para Ohara, a fotografia era um hobby. Todos eram autodidatas no que faziam, aprenderam na prática ou por necessidade ou por paixão, que pode ser comprovado no cuidado com que tinham ao retratar as paisagens e os personagens da nossa história.

Foto da primeira estação ferroviária de Londrina, antes do prédio mais recente, que hoje é o Museu Histórico, inspirado na ferroviária de Londres







Panorama do Centro da cidade, construções de madeira e a mata nativa dominam a paisagem











Esta é a primeira catedral de Londrina, ainda de madeira, registro de um dia de missa












Fotos de José Juliani.

Museu Histórico Padre Carlos Weiss
R. Benjamin Constant, 900 - Centro

Horários:
ter à sex: 9h30-11h30 e 14h30-17h30
sáb e dom: 9h30-11h30 e 13h30-17h00
seg: fechado

Entrada: gratuita

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

"Jardins" de Londrina...

Sim, existe! Não é oficial, mas já está cada vez mais fortalecido na imagem e no cotidiano dos londrinenses que frequentam esta área.

Por quê "jardins"? É que em São Paulo, capital, existe uma região nas redondezas da av. Paulista que se chama Jardins por causa da união de vários outros bairros que começam com este nome, como Jardim Paulista, Jardim América, Jardim Europa... E é o centro da moda e do "glamour" paulistano! Pela novela "ti-ti-ti", da Rede Globo, vocês irão conferir algumas imagens desta área tão badalada da capital paulista (é lá onde fica a famosa r. Oscar Freire).

Em 2008, eu fiz o meu TFG (Trabalho Final de Graduação) da faculdade sobre comércio urbano e arquitetura comercial, e utilizei esta área como referência para a pesquisa. E onde é, afinal? É a região compreendida entre r. Belo Horizonte, r. Santos e r. Paranaguá, entre av. JK e av. Higienópolis. Essa área também é conhecida como "quadrilátero nobre" por alguns historiadores e teve a ocupação iniciada em meados da década de 40 e 50, com os casarões na av. Higienópolis - muitos dos quais ainda permanecem lá, como o do Banco Real Van Gogh e o do Itaú Personalité, mas muitos já foram demolidos, como o chalé onde hoje está construído o Banco do Brasil Estilo. Mas, os casarões não ficaram só na avenida e entraram nas ruas do bairro também e alguns ainda estão lá, como o casarão da Net e a recém-aberta pizzaria Famiglia Beffa, e muitos, infelizmente também, já não existem mais... Onde tem o Jardim Mall era um enorme casarão e onde a Plaenge está construindo o Ed. Contemporâneo idem...

Casarão do Itaú Personalité que também já foi a sede da Encol, foto do autor











Casarão da Net, apesar das demolições dos outros casarões, esses poucos remanescentes contam a história e são importantes para preservarmos a memória do bairro e de seus moradores, foto do autor 









Aliás, essa é a característica desta área, verticalização! E isso fez com que surgisse uma alta densidade ali. Olhando a imagem pelo Google Earth, vemos uma grande mancha preta na região, que são as sombras dos edifícios. Muitos desses edifícios são de alto padrão, mas há também inúmeros outros para estudantes e solteiros, os chamados da linha "primeira moradia" (possuem acabamentos mais simples e planta baixa mais enxuta). Apesar desses, a região ainda possui o m² mais valorizado da cidade! O terreno vazio ali gira em torno dos R$1200/m², enquanto na Gleba Palhano (outra área de verticalização de alta renda na cidade) está em torno de R$500/m². Assim, essa alta densidade aliada com a alta renda concentrada fez com que surgissem outras atividades, como comércio e serviços.

Vista da r. Santos através da sacada de um dos prédios, a verticalização está presente em toda a região, foto do autor



















Sombras dos edifícios mostram a densa verticalização, imagem do Google Earth












A paisagem da área é configurada pelos prédios e vista por toda a cidade, aliás, responsável em grande parte pelo skyline de Londrina, foto do autor











O comércio e os serviços estão cada vez mais presente dentro do bairro, tanto em formatos isolados, como em conjuntos comerciais. Há mais ou menos 5 anos surgiu um empreendimento maior no meio do bairro, que é um conjunto comercial no térreo, o Jardim Mall, integrado com um edifício residencial em cima, o Studio D. O Jardim Mall conta com mais de 20 lojas e 1 supermercado, mas apesar de ter um edifício em cima, ele só foi melhorar o seu movimento recentemente com a mudança na administração dele. É que durante o meu TFG, eu analisei inúmeras falhas no projeto arquitetônico que contribuíram para a demora na ocupação. Hoje, eles estão melhores pois a Imobiliária Raul Fulgêncio alterou algumas modalidades de locação, concentrando serviços e trazendo marcas já CO-NHE-CI-DAS na cidade!

* Sim, isso mesmo! Não adianta trazer marcas de fora só porque fazem sucesso, logicamente, lá fora! Por exemplo, seguindo a linha de pesquisa do meu TFG, o Fran's Café faliu por erros no projeto arquitetônico do conjunto comercial e por não ser conhecido na cidade! Mas, principalmente, por erros na locação do estabelecimento, lááá no fundo! Eles pensaram que o conjunto comercial teria fluxo porque o Fran's iria atrair pessoas, mas isso é um equívoco muito comum em projetos de espaços comerciais, pois estabelecimentos de alimentação geram fluxo em horários pontuais do dia e as pessoas vão até eles com um objetivo determinado, ou seja, comer! E outra também... muitos empresários acham que essas franquias paulistas farão sucesso aqui também só porque fazem sucesso lá em SP, mas não é bem assim que funciona... Londrina possui um comércio local muito forte e a concorrência com os empresários locais muitas vezes torna-se incompatível. É que nem o caso da Delta Vídeo e a Blockbuster, que tentou abrir na cidade inúmeras vezes (antes das operações dela no Brasil serem compradas pelas Lojas Americanas). Não conseguem porque o custo para uma Blockbuster é alto (algo em torno de R$500 mil) e a Delta Vídeo possui um acervo infinitas vezes maior e uma clientela muito fiel.
Jardim Mall, na r. Santos com r. Pio XII, boa intenção comercial, mas falhas no projeto arquitetônico atrasaram a ocupação do conjunto comercial, foto do autor










Entre o ano passado e este ano, abriram outro estabelecimento do porte do Jardim Mall, mas é diferente porque não possui uma loja âncora, como o Musamar (aliás, essa é a outra falha no projeto arquitetônico do Jardim Mall, a loja âncora está em um pavimento diferente, ou seja, as pessoas são realmente atraídas por ela, mas não passam pelas outras lojas...). A nova galeria comercial também possui mais de 20 lojas e há previsão para 1 restaurante e 1 academia, esse empreendimento é o Ritz, que fica onde era a Tok&Stok. Mas todos os erros cometidos pelo Jardim Mall repetiram-se ali e com outros agravantes (o que renderia outro post só pra isso, assim como, nem falei todas as falhas do Jardim Mall...).

* Conjunto Comercial são todos os edifícios que reúnem várias lojas, tanto internas, como voltadas para a rua. Galeria Comercial são os edifícios que reúnem várias lojas, tanto internas, como externas, mas que fazem uma ligação entre dois ou mais pontos. Shopping Center é todo empreendimento que reúne inúmeras lojas pequenas e grandes, que possua outros meios de lazer e alimentação integrados, estacionamento próprio e mais de 10 mil m² de área construída.
Ritz, na r. Belo Horizonte com r. Pio XII, após a mudança da Tok&Stok, unificaram o barracão com as lojas no entorno, mas novas falhas no empreendimento atrapalham o sucesso da galeria comercial, foto do autor









Assim, a região consolida-se no imaginário popular como o "Jardins" londrinense, pois todas essas qualidades assemelham-se ao Jardins paulistano, tanto no padrão das edificações, como no modo de ocupação e na malha urbana, que também é muito parecida - ambas as regiões possuem um declive partindo da avenida principal (av. Paulista lá e av. Higienópolis aqui) e malha xadrez de implantação, que são as quadras no formato quadrado 100x100 metros. Aliás, a nossa av. Higienópolis também possui uma história muito parecida com a da av. Paulista... ambas tiveram sua ocupação inicial por casarões dos barões do café e depois tranformaram em centros bancários, a av. Paulista com as sedes de inúmeros bancos nacionais e internacionais, e a av. Higienópolis com as agências de quase todos os bancos do país, inclusive, os exclusivos - BB Estilo, Banco Real Van Gogh, Safra, Citibank, Itaú Personalité, Bradesco Prime, Bicbanco e havia também o BankBoston, mas as suas operações foram compradas pelo Itaú no Brasil inteiro. O único banco que não está na nossa avenida é o HSBC.

No meu TFG, projetei uma rua de comércio aliada com os edifícios residenciais e a história do bairro. Transformei a r. Santos em uma rua onde os moradores podiam passear com suas famílias e as pessoas da cidade visitassem e fizessem suas compras com mais conforto e qualidade. O projeto propiciaria também que os empresários da cidade tivessem outra opção para instalar seus estabelecimentos, chamei o projeto de "Passeio Santos". Projetei em cada esquina da r. Santos algumas pracinhas com conjuntos comerciais, valorizando o espaço público e aumentando a oportunidade dos comerciantes, chamei de "Pracinhas da Rua". Logo, estaria atendendo ao objetivo geral do trabalho, que era direcionar o crescimento do comércio na área ao organizá-lo em torno de uma rua projetada adequadamente com um desenho urbanístico e paisagístico, assim, não perdendo a valorização dos imóveis residenciais.

Imagem do projeto que eu fiz para a r. Santos, essa seria a entrada do "Passeio Santos" pela r. Pará com totens marcando o acesso, floreiras delimitariam as calçadas, que seriam mais largas aproximando os pedestres das vitrines com jardins emoldurando os edifícios, imagem do autor e de Rafael Herrera






Imagem mostrando o interior de uma das pracinhas que projetei para a r. Santos, conjuntos comerciais rodeando o espaço público voltado para as esquinas, ampliando o visual e qualificando a área ao melhorar o aspecto da região para os moradores, imagem do autor e de Rafael Herrera






Essas são as logomarcas que eu criei para a região, fiz também um ensaio de como seria o projeto em uma rua com declividade, como a r. Pio XII, as logos foram inspiradas no desenho que as calçadas e os jardins fariam ao longo do passeio, imagem do autor

terça-feira, 14 de setembro de 2010

José Janene falece em São Paulo...

Conforme toda a imprensa no rádio, na televisão e na internet já noticiaram, o blog também somará aos meios de divulgação noticiando o infortúnio do ex-deputado federal José Janene (PP), que faleceu nesta madrugada no InCor, na capital paulista.

Famoso no Brasil inteiro pelos escândalos de corrupção, o político com domicílio em Londrina sempre esteve ao lado de outras personalidades locais, como o ex-prefeito e atual deputado estadual Antônio Belinati (PP), que teve a sua candidatura a reeleição a deputado impugnada agora, em 2010 - em 2008, Belinati tentou voltar à Prefeitura, mas o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) também impugnou a sua candidatura... inclusive, Belinati foi cassado em 2000 por conta de escândalos que envolviam o nome de Janene também. O atual prefeito Barbosa Neto (PDT) também possui laços com Janene, ele foi assessor de imprensa dele no início de sua carreira. Para quem não sabe, Barbosa é formado em Jornalismo pela UEL.

Assim, Janene deixou um legado na política londrinense que muitos não gostariam de lembrar ou que existisse. Como assim? Marcou polêmica no escândalo AMA-Comurb (ver post "Histórico de um político...") ao ter empresas de sua família envolvidas nos esquemas de corrupção na Prefeitura da cidade, além de seu nome aparecer como participante, ao lado de Belinati, na formação de quadrilha para saquear os cofres públicos. Ele ficou conhecido nacionalmente ao aparecer seu nome como um dos chefes do "Mensalão" do governo federal, que na época envolveu os partidos da base aliada do PT, como PP e PTB, no primeiro mandato do presidente Lula (PT).

Janene havia se licenciado do cargo de deputado federal por conta dos problemas de saúde, assim, evitando a cassação do mandato por conta dos escândalos do "Mensalão" e escapando dos processos envolvidos na época. Depois, aposentou-se para tratar desses problemas de saúde que resultaram em sua morte nesta madrugada, ele sofria de uma cardiopatia grave e precisava de um transplante de coração. Fez tratamentos em Londrina, Curitiba, São Paulo e até nos EUA. Janene tinha 55 anos e será velado em Londrina, na Mesquita Muçulmana Rei Faiçal, e será enterrado amanhã, no Cemitério Islâmico.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Eleições 2010: Beto cai, Osmar sobe

Saiu, nesse fim-de-semana, a nova pesquisa Ibope e Datafolha sobre a eleição para o governo estadual aqui no Paraná. A estratégia da campanha de Osmar Dias (PDT) parece estar dando certo, ao mostrar imagens constantes dele com Lula (PT) e atacar o Beto Richa (PSDB) pelos seus apoios no passado.

É que quando Osmar foi candidato a governador, em 2006, o Beto o apoiou. E quando o Beto foi candidato a prefeito, em 2008, o Osmar o apoiou porque imaginava que o Beto iria apoiá-lo nesta eleição. Mas... como todos viram, o Beto lançou candidatura própria. A campanha de Osmar também mostrou imagens do Beto dizendo que não iria abandonar a Prefeitura da capital para concorrer ao governo do estado. O que não vejo muita água nisso, afinal, ser prefeito da capital e governador do estado dá quase na mesma, NÉ?

Mas, enfim, o que será que fez as pesquisas aumentarem o percentual do Osmar e diminuírem o do Beto??? Confiram os números:
  • Ibope
Beto Richa 47%
Osmar Dias 38%
  • Datafolha
Beto Richa 44%
Osmar Dias 38%
Comparando com as pesquisas anteriores, Osmar subiu em torno de 3% e Beto caiu em torno de 3%!!! Mas, ainda assim, a eleição no Paraná será decidida no 1º turno. Porém, após esses ataques da campanha de Osmar, a campanha do Beto começou também a atacar. E, como eu adiantei em outros posts, a baixaria vai começar! É que eleição no PR, infelizmente, é tradição o festival de baixarias entre os candidatos...

Outra coisa também... Por quê a Justiça Eleitoral não está multando os candidatos que ficam colocando cavaletes e fixando placas em terrenos vazios (ver post "Eleições 2010: falta de respeito...")??? É PROIBIDO!!! #ficaadica

domingo, 12 de setembro de 2010

Leia! UEL no "Ópera Prima"!

Uma ex-caloura minha, Gabriela Correia Fernandes, venceu o prêmio "Projetando em PVC", promovido pela Braskem, IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil) e revista Projeto Design, através do "Ópera Prima", que é a premiação dada aos alunos de TFG de Arquitetura e Urbanismo em todo o país (TFG é o mesmo que TCC, quer dizer Trabalho Final de Graduação).

Ela já é arquiteta e urbanista desde o fim do ano passado e o resultado desta premiação saiu agora, no começo do mês de agosto. Assim, a premiação foi notícia no portal da revista Exame! Confira o link com a reportagem completa.

Todo o TFG dos cursos de Arquitetura e Urbanismo são projetos arquitetônicos ou urbanísticos que os alunos escolhem fazer, seguindo uma linha de pesquisa e aplicando em uma temática. Assim, o projeto que a Gabriela fez é sobre o Kinoarte, aquele instituto de produção e reprodução de vídeos daqui de Londrina. Ela projetou módulos em PVC que são salas de cinema itinerantes, assim, dependendo da quantidade e da maneira de articulação dos módulos, pode-se criar uma sala fechada, uma ante-sala ou até mesmo uma peça de mobiliário urbano.

O "Ópera Prima" de 2010 está na sua 22ª edição, é promovido pela revista Projeto Design e o IAB, e conta com o patrocínio da Braskem, empresa de plásticos e polímeros. Os finalistas são escolhidos de acordo com a região em que vivem, assim, no total, são cinco regiões diferentes abrangendo todo território nacional, cada uma delas com um júri distinto composto por arquitetos do IAB.

A Arquiteta e Urbanista Gabriela Fernandes, formada pela UEL, venceu o prêmio "Projetando em PVC" de 2010












Gabriela venceu em 1º lugar a premiação ao projetar salas itinerantes de cinema para o Kinoarte, utilizando o PVC como material de revestimento









Imagens de Marcus Vinícius Bernardo.

sábado, 11 de setembro de 2010

Comentários e votações...

Resolvi explicar algumas configurações que fiz no blog. Então, como sempre lembro vocês, o blog possui 2 modos de interatividade.

Um deles é a votação nos posts publicados, na parte "O que achou???" pode votar em 3 opções - engraçado, interessante e legal. Mas, sempre me perguntam: "por quê não tem a opção 'não gostei'?"

Assim, entra o outro modo de interatividade, que são os comentários. Quem quiser opinar contrariamente ou apenas demonstrar outro ponto de vista sobre aquele assunto, deve acessar o "Clique aqui e comente!", ok? Pois convenhamos que simplesmente dizer que não gostou sem dizer o porquê não acrescenta em nada, né? Clicando nessa opção, você verá 4 jeitos de comentar. Eu coloquei lá agora uma breve explicação sobre como proceder, que passarei aqui também.
Se for usuário do Blogger, é só fazer o login e ir direto ao texto. Mas se não for usuário do Blogger, você tem 3 opções:
  • clicar na opção "OpenID" e digitar um link seu, pode ser orkut, facebook, etc... essa opção permite que as pessoas identifiquem quem é você e te encontrem online;
  • clicar na opção "Nome/URL" e digitar apenas um nome ou um apelido, essa opção apenas identifica você sem que a pessoa te encontre por algum meio online;
  • clicar em "Anônimo" e falar o que quiser porque ninguém te encontrará e nem saberá quem é você! É a liberdade de expressão que o blog permite!
Entendido? É que várias vezes ouvi pessoas dizendo que não comentaram porque não eram usuários do Blogger, pois é a primeira opção que aparece selecionada lá na janela dos comentários, mas mesmo não sendo usuário, você consegue comentar. Confesso que antes de eu ter o meu blog, eu também achava que precisava ser usuário pra comentar... :-p

Lembrete! Palestra na segunda-feira!

Não se esqueçam da palestra internacional do dia 13 de setembro, segunda-feira: "Comércio, cidade e revitalização urbana: um cenário de competitividade", ministrada pela profª Dra. Arquiteta e Urbanista Corinna Morandi. Confira mais informações no post "Palestra: 'Comércio, cidade e revitalização urbana'". Será no auditório do Consórcio União, na av. Higienópolis, 2400, às 19h30, e as inscrições podem ser feitas no Departamento de Arquitetura e Urbanismo (DAU), na UEL, ou na ACIL (Associação Comercial e Industrial de Londrina). A palestra é gratuita, mas para quem quer retirar o certificado de 4 horas da palestra, tem que pagar uma taxa lá no DAU, ok?

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Trânsito de Londrina... é o caos?

Neste post farei algumas considerações sobre o trânsito de Londrina. Muita gente reclama que é caótico e tudo o mais, mas será que é mesmo? A culpa é do trânsito ou das pessoas? Ou dos dois? Vejamos alguns itens...
  • Radares
A Prefeitura instalou novos radares fixos (ver post "Atenção! Novos radares em operação!") recentemente, somado aos outros existentes em pontos polêmicos pela imprudência dos motoristas. Ou seja, na medida do possível, a Prefeitura está fazendo a sua parte... Pena que os radares daqui não captam infrações de velocidade, lembro que na gestão do ex-prefeito Cheida instalaram algumas lombadas eletrônicas em avenidas da cidade, andando por esses pontos ainda dá pra ver a marcação delas - por exemplo, em frente ao Vitrola Bar tem um monolítico de concreto na calçada e outro no canteiro da av. Higienópolis. Seria uma ótima idéia novamente para a cidade. Recentemente, a CMTU adquiriu um novo radar móvel, mas ainda não está usando todo o dia, apenas em algumas blitz ocasionais. Há previsão de adquirirem mais unidades (ver post "Atenção! CMTU adquire radar móvel!"). #culpa da população
  • Semáforos 
Copel irá trocar as lâmpadas de vários semáforos para as de LED, além de economizar horrores na conta de luz (lâmpadas LED costumam gastar 5% de energia das lâmpadas comuns), elas iluminam muito melhor quando o Sol está baixo. Hoje, por exemplo, ofusca os semáforos na alvorada e no pôr-do-Sol. Ou seja, acabarão as desculpas esfarrapadas de que não viram qual cor estava acesa naquela hora... Tem também a "onda verde", que é a sincronização dos semáforos para abrirem sequencialmente, dinamizando o fluxo de veículos. E não é tão difícil de aplicar, pelo menos, nas principais vias. Além de facilitar o fluxo, é bom para o meio ambiente, pois faz com que os carros poluam menos. Há também vários semáforos desnecessários na cidade, falta de atenção do IPPUL e CMTU. #culpa da população e do poder público
  • Sinalização viária
Placas verticais, sinalização horizontal (faixas de pedestres, faixas de rodagem, setas de direção, faixas de estacionamento, etc) e placas indicativas (aquelas que mostram onde está tal coisa, tal lugar, nome de ruas e avenidas, etc). No Centro, praticamente, todas as ruas são bem sinalizadas, mas nos bairros ainda é um pouco deficiente. Por exemplo, muitos lojistas de bairro insistem em rebaixar toda a guia e pintar ilegalmente com uma faixa amarela na frente, que indica que é proibido estacionar. Ou várias esquinas de ruas sem placas indicando que ruas são aquelas. Isso já é problema da Prefeitura, que através da CMTU, tem que fiscalizar isso, corrigir o problema e, às vezes, multar essas pessoas. Outro ponto deficiente aqui é a falha de manutenção em algumas vias de grande fluxo, mas não temos graves problemas em Londrina ainda. O que temos de problemático nisso é a remoção de sinalização horizontal, que é quando a Prefeitura altera alguma coisa na via e não apaga direito a marcação anterior... Apesar de simples, é necessário! Mesmo tendo a sinalização vertical complementando, a sinalização horizontal antiga aparece e confunde o motorista, pois mesmo sendo pintada de preto, como ela é uma tinta reflexiva, aparece tudo à noite. #culpa do poder público
  • Lombadas, quebra-molas, saliências...
Sim, tem gente que chama de "saliências"! Então, como foi reportagem do JL semanas atrás, a maioria (pra não dizer todas) das lombadas da cidade está irregular, tanto no comprimento, como na altura. Além de que, é proibido desde que o responsável público assuma toda e qualquer responsabilidade por qualquer acidente ocasionado pela instalação daquela lombada. Sabiam disso? Pois é... Sugestão: ou regulariza, ou tirem todas! Lombadas de acordo com o padrão são bem mais largas, o que faz com que diminua a velocidade sem danificar o veículo, fazendo uma travessia mais suave e com menos impacto. Porém, se os motoristas respeitassem o limite de velocidade, não seria necessário instalar tantos quebra-molas. #culpa do poder público e da população
  • Obras inacabadas...
A lista é longa... Continuação da av. Ayrton Senna até a av. Waldemar Spranger, continuação da duplicação da r. Goiás até a av. Santos Dumont, continuação da duplicação da av. Castelo Branco até a UEL, duplicação da r. Humaitá e r. Faria Lima, duplicação da r. Souza Naves da av. Bandeirantes até a barragem, duplicação da av. Maringá (ver post "Av. Maringá... comércio X trânsito!"), continuidade da av. Ernani Lacerda de Athayde do Jardim Guanabara até a PR-445, continuação da duplicação da av. Robert Koch até o HU e construir a rotatória ali ligando a av. Alziro Zarur até a av. Santos Dumont, transposição do córrego dos Limoeiros pela av. Máximo Peres Garcia, readequação viária na av. dos Pioneiros, readequação viária na av. Henrique Mansano, viaduto na av. Arthur Thomas cruzando a PR-445, viaduto na av. Harry Prochet cruzando a PR-445, etc... É, realmente, é LON-GA!!! #culpa do poder público
  • Campanhas educativas
"Pé na faixa", seguindo o slogan da campanha, a atitude depende do primeiro passo? Ou da primeira freada? Porque dependendo dos motoristas, se o pedestre botar o pé primeiro, vamos ter um alto índice de amputações na cidade (ver post "Pé na faixa")! Mesmo com falhas na divulgação, a Prefeitura tenta fazer a parte dela... Porém, e campanhas contra o alcoolismo? Contra falar no celular? Contra dirigir sem cinto? Contra alta velocidade? Na real, nem precisaria de tantas campanhas se houvesse mais conscientização das pessoas, né? #culpa do poder público e da população
  • Transporte coletivo
A recente instalação de corredores de ônibus em 2 vias do Centro da cidade facilitaram muito o fluxo dessas vias, tanto para os ônibus, como para os carros. Porém, eliminou várias vagas de estacionamento e fez com que a velocidade dos veículos aumentasse demais também, já que os motoristas encontraram a via mais livre. Mas, Londrina enfrenta outro problema no transporte coletivo, que é justamente ele em si! Linhas e transbordos deficientes... necessita urgentemente dinamizar o Terminal Central e os de bairro, que hoje só existem na Zona Norte e na Zona Sul. Além, também, criar novos corredores em avenidas de grande fluxo, que poderiam utilizar outros meios, como o VLT ou o monotrilho (ver post "Corredores de ônibus..."). #culpa do poder público
  • Vagas de estacionamento
Aqui temos vários pontos polêmicos, o primeiro deles seriam as vagas para carga e descarga. É preciso urgentemente rever e regulamentar novos horários! Hoje, muitas dessas vagas ficam ociosas durante o dia porque a placa diz "das 8h00 às 18h00", por exemplo. Oras, delimita um horário e ponto final! Horário comercial inteiro não dá! Em São Paulo, capital, eles só podem fazer carga e descarga na região central das 5h00 às 7h00 e ponto final, todo mundo se adaptou. Isso fez com que inúmeros caminhões parassem de trafegar no Centro nos horários mais movimentados. Outro problema aqui são as vagas para transporte de valores. Necessita mesmo de vagas exclusivas? O dia que eu ver um carro-forte parado em uma delas, vai chover gra-ni-to! A pedra mesmo, não o gelo... que na verdade é gra-ni-zo, mas estou sendo exagerado mesmo...! Ninguém respeita essas vagas por questão de segurança, se o carro-forte precisar arrancar de repente é mais fácil estar fora da vaga, logo, parando em fila dupla... Outra questão são as vagas para motos. Cadê? E cadê o respeito a elas por parte do motociclista? Eles param no meio dos carros, trancam inúmeras vagas de carro e tudo o mais... Porém, eles não têm muita opção, já que a Prefeitura não delimita por quadra essas vagas. Outra questão que já comentei em outro item, são os rebaixos de guia ilegais. É que pelo IPPUL, lotes em ruas podem rebaixar apenas 3m por lote, e em avenidas apenas 5m por lote. Mas, MUITA gente rebaixa tudo e fica por isso mesmo... E somado a tudo isso, ainda temos a Zona Azul, regulamentar é limitar? Tanto o tempo, como o espaço... Ela veio para dinamizar as vagas em ruas e avenidas com grande fluxo, mas limita o tempo máximo de permanência, o que é bom para os serviços, mas ruim para o comércio. Ah, é bom também para os estacionamentos privados! E ainda bem que voltaram com os 15 minutos de tolerância. Recentemente, a Prefeitura disse que irá começar a instalar parquímetros, que são máquinas que emitem automaticamente cartões e dizem quanto tempo você está estacionado ali, facilitando o controle por parte dos fiscais. #culpa do poder público

Isso tudo são apenas algumas questões, mas continuo em um próximo post para não ficar muito longo o assunto, ainda falta falar das carroças, das bicicletas, dos buracos, da geometria, do papel da CMTU e do IPPUL, além, claro, do comportamento dos motoristas.