quarta-feira, 21 de julho de 2010

Eleições 2010: alianças estranhas

Estranhas algumas alianças que se formaram no Paraná... Mais estranhas ainda para nós, londrinenses, que vivenciamos uma eleição inusitada em 2008, que se estendeu para 2009.

Contextualizando... Em 2008, tivemos eleições municipais em dois turnos, foram para o 2º turno Belinati (PP) e Hauly (PSDB). Barbosa (PDT) ficou em terceiro lugar. Porém, após Belinati ser eleito com 51%, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) considerou a candidatura dele impugnada! O que fez com que houvesse um novo 2º turno - apelidado de 3º turno - entre Hauly e Barbosa. No 2º turno, PDT de Osmar Dias, PMDB de Requião e Cheida, e até o PT se uniram para que o candidato do PSDB, Hauly, vencesse o ex-prefeito Belinati, acusado em vários processos de corrupção e cassado pela Câmara Municipal em 2000. Porém, Barbosa foi contra o seu partido e se uniu a Belinati. No 3º turno, PMDB foi com Hauly, o PP de Belinati foi com Barbosa e o PT ficou neutro.

Essa eleição envolveu gente de peso de todo o estado, afinal, estavam todos de olho nas eleições de 2010 e Londrina é o segundo maior colégio eleitoral do Paraná. Beto Richa e Álvaro Dias (ambos do PSDB) apareciam toda hora na campanha do Hauly, até José Serra e Geraldo Alckmin, que nem são daqui, apareceram também. Já a campanha do Barbosa tinha Belinati e Ricardo Barros (ambos do PP), que articulavam nos bastidores, e Osmar Dias, que apoiou Hauly no 2º turno, voltou a dar apoio discreto ao companheiro de partido. A presença de Belinati no mesmo apoio fez com que Osmar ficasse quase que neutro, pois ele, teoricamente, repugnava-o como mau exemplo no 2º turno.

Agora, vamos analisar o quadro eleitoral ao governo estadual. O PP de Belinati e Ricardo Barros está com o PSDB de Beto Richa, que concorre ao cargo de governador (ver post "Eleições 2010: Governador do PR"). Álvaro Dias não concorre neste ano porque seu mandato como senador vencerá apenas em 2014 e ele não quer se envolver em uma disputa contra o irmão. O PMDB de Requião, que concorre a senador, e o PT estão com o PDT de Osmar Dias, que concorre a governador também.

Ou seja, vamos tirar os personagens de fora da cidade e ver como ficou o quadro só com os políticos daqui:
  • de um lado temos Belinati e Hauly juntos... eternos adversários em eleições municipais de Londrina, Hauly e Belinati já se enfrentaram em três eleições e em duas foram juntos para o 2º turno.
  • do outro lado temos Nedson, Cheida e Barbosa unidos... estranho, não?

É... na política vemos cada coisa e os políticos têm que engolir cada sapo. Coitadinhos deles, né...

Beto e Osmar, vale tudo para vencer uma eleição... princípios éticos e morais já eram há muito tempo... foto de autor desconhecido









A campanha em torno de Beto Richa chamou o senador Flávio Arns (PSDB) para vice e pretende eleger o dep. federal Gustavo Fruet (PSDB) ao cargo de senador e se uniu ao PP para eleger o dep. federal Ricardo Barros também ao Senado - neste ano serão eleitas duas vagas por estado. Ah, Flávio Arns era do PT, quando foi eleito em 2002, mas saiu do partido por justa causa quando o presidente Lula mandou os senadores do PT votarem contra o afastamento de José Sarney (PMDB) da presidência do Senado. Sarney era acusado de vários processos de decoro parlamentar e outras irregularidades. O Gustavo Fruet tem base em Curitiba e foi o deputado federal mais votado nas últimas eleições. O Ricardo Barros tem base em Maringá e é aquele que articulou as campanhas do Belinati, em 2008, e do Barbosa, em 2009, ambas contra o PSDB de Hauly.

Já a campanha de Osmar Dias pretende eleger Requião ao senado. Estranha outra coisa aqui... Osmar e Requião foram rivais em 2006, sendo que Osmar perdeu apenas por 10 mil votos em todo o estado e todo mundo viu que Requião ficou nada feliz no dia seguinte quando deu entrevistas. Lembrando também que mesmo o Osmar tendo Barbosa ao seu lado, Londrina possui uma enorme rejeição ao Requião.

Olhando o panorama nacional, temos José Serra com palanque forte por Beto Richa e Dilma Rousseff com palanque desunido por Osmar Dias. Por que desunido? É que o PMDB no estado não está 100% na campanha de Osmar... Como assim? Normal isso acontecer dentro do PMDB, o partido é notoriamente conhecido em todo o país como plural, ou seja, há várias ramificações dentro de si que apóiam outros interesses. Por exemplo, o vice da Dilma é Michel Temer, do PMDB, mas em Pernambuco, o candidato ao governo de lá é Jarbas Vasconcelos, também do PMDB, mas estará apoiando o Serra.

4 comentários:

Renato Cristopher disse...

Caro Marcel, só uma correção em seu texto. O Partido Democrático Trabnalhista adotou postura neutra no segundo turno das eleições de 2008, liberando seus filiados para apoiarem quem quisessem.
Abs,
Renato Cristopher

Anônimo disse...

Muy neutra a postura do PDT, só na frente das Câmeras.

Por trás dos panos trabalharam e fizeram de tudo para aproximar o Belinati do Barbosta.

Conseguiram, e mostraram o que realmente são.

O oportunismo puro foi evidenciado com a "abraçada" do Barbosta no tio Bila, carta marcada. Pois o gafanhoto da Assembléia (Barbosta) sabia que o "pobre e moribundo" Tio Bila estava com a corda no pescoço.

Conseguiu fazer um tereciro turno inédito, e enganou até o velho Bila, logo após, como já era esperado, pois é de seu estilo, deu-lhes as costas logo depois.

É por isso que política tem que ser feita por gente grande, não por muleques.

Mas parece que o amigo pizzaiolo aí de cima ainda não aprendeu a lição, continua dando pitaco em coisa alheia.

Será que a multa eleitoral (R$150.000,00) e o desgaste ainda não te ensinaram Renato?

Anônimo disse...

o renato
nao foi bem assim naum
o teu apoiou hauly sim
inclusive vc batia no belinati
ou jah se esqueceu????
osmar apoiou hauly...

Marcel disse...

Renato, não sei até onde isso é verdade...

Afinal, Osmar Dias apareceu no horário político do Hauly no 2º turno e lembro tb q até houve uma intenção de expulsar o Barbosa do PDT por ter ido contrário a posição do partido em apoiar o Hauly.

No 2º turno da eleição de 2004, o PSDB foi com Nedson, mas Hauly não se posicionou pq bateu muito no Nedson naquele 1º turno. Lembro até da frase do saudoso ex-prefeito Wilson Moreira:

"Votar no Nedson é exercer o direito de legítima defesa!"

Isso, sim, são princípios morais! A pessoa não se vender pra vencer! E mesmo não indo a favor do partido, pelo menos, ficar neutro pra não atrapalhar!